sábado, 9 de janeiro de 2010

.../.



Se é minha companheira,
Meu carma, minha obsessão,
Com ela posso me aventurar,
Aprender, me desvendar.

No jogo,
O Game Over parece inevitável,
O Restart indisponível,
Mas enquanto estou na luta,
Esquivar-me-ei até a última cartada.

Permito-me quase tudo,
Menos dela zombar.
O invencível sempre ganha,
A fraqueza da mortalidade fada-se ao fim.

Se me resta seguir em frente,
Assim o farei fulminante e curioso.
Mas se meus passos tornarem-se lentos,
Se minha mente parecer vazia...
Desistir talvez não seja uma tolice.



Gabriel T.

14 comentários:

  1. amei!!!!

    bjss
    www.bobogema.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. parabéns cara... é de sua autoria?

    to seguino, gostei das poesias

    ResponderExcluir
  3. Me acompadeço de quem tão grandemente sofre de hemorróida.

    ResponderExcluir
  4. Heey,
    Quando o amor é verdadeiro , mesmo que não esteja dando totalmente certo , não podemos desistir , nós devemos lutar pra conseguir!!

    =)

    ResponderExcluir
  5. Seguindo você! pode me seguir tbm?
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. legal hein! parabens! vc q escreve?

    ___________

    Entra la no meu blog tb. Siga e comente!

    http://seriadobretania.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. ótimo texto, mesmo.
    incrível a descrição.

    http://anpulheta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. A intensidade, a sensibilidade e o forte teor de sentimentalidade poética é presente.

    bom blog este, te sigo!

    ResponderExcluir
  9. Homens que escrevem dessa forma são geralmente sensíveis e tocantes. Gosto do jeito como escreves.
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Também não sou muito boa nesse jogo, desistir? Quem sabe melhor é mudar o game...

    ResponderExcluir
  11. Teria como lutar ou mudar o jogo quando o adversário é a morte? Obrigado pelos comments.

    ResponderExcluir
  12. Uma sensibilidadsem igual vi nessa sua poesia, parabéns mano! Boas inspirações.

    ResponderExcluir